Notícias

Todos os posts (51)

Entre os dias 30 de setembro e 4 de outubro de 2019, em reunião em Washington D.C., EUA, os estados membros da Organização Pan-Americana de Saúde se debruçaram sobre questões relacionadas às DCNTs, incluindo a saúde de jovens e adolescentes, Atenção Primária à Saúde e Cobertura Universal da Saúde na região. Um aspecto principal foi a aprovação do Plano de Ação para a Eliminação da Gordura Trans Industrialmente Produzida no período de 2020-2025.

Detalhes sobre a reunião em: https://ncdalliance.org/news-events/news/paho-approves-regional-plan-of-action-on-trans-fat-elimination

Conheça o pacote de medidas da Organização Mundial da Saúde para Eliminação da Gordura Trans: https://www.who.int/nutrition/topics/replace-transfat

Saiba mais…

 

Sua organização atua para alcançarmos o desenvolvimento sustentável ou apoia a Agenda 2030?

Então subscreva a edição 2019 do Relatório Luz da Sociedade Civil! A publicação foi lançada em agosto e traz análises e recomendações para a implementação de cada um dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). O trabalho envolveu 32 organizações, entre membros e não membros do GT Agenda 2030 (confira a lista completa).

Clique aqui para apoiar.

3655498146?profile=RESIZE_710x

O Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para a Agenda 2030 (GT Agenda 2030) lançou em Brasília, o III Relatório Luz da Sociedade Civil da Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável. A publicação analisa, a partir de dados oficiais e evidências, a implementação dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) no Brasil.

O Relatório Luz 2019 foi elaborado por experts e parceiros do GT Agenda 2030 e mostra um cenário de violações e desrespeito aos direitos sociais, ambientais e econômicos que vem se acentuando desde o último ano. Ao mesmo tempo em que crescem a pobreza, o desemprego e a violência contra a mulher no país, são reduzidos os recursos para áreas como saúde e educação e nega-se o processo de mudança climática, entre tantos outros problemas que impedem que o Brasil atinja os ODS.

A análise engloba as 125 metas dos 17 ODS e apresenta recomendações para que sejam alcançadas. Além disso, o Relatório Luz 2019 traz um estudo de caso sobre os desastres de Mariana e Brumadinho e um exemplo de boa prática que é a proibição do casamento infantil para menores de 16 anos no Brasil. A publicação tem o apoio financeiro da União Europeia.

Matéria de lançamentodo Relatório Luz da Sociedade Civil

Saiba mais…

A Declaração #UNGA sobre #UniversalHealth é um passo realmente importante para todos os países das Américas❗ O Dr. James Fitzgerald resumiu a jornada em direção a #HealthForAll em video na pagina do Linkedin da Pan American Health Organization.

Nova York, 24 de setembro de 2019 (OPAS) - A diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Carissa F. Etienne, saudou a Declaração Política de Alto Nível das Nações Unidas sobre Cobertura Universal de Saúde (UHC), adotada em 23 de setembro pelo mundo líderes na Assembléia Geral das Nações Unidas.

“Health is a human right, where universal means universal; whereby all people have access and coverage to quality comprehensive health services, as well as interventions to address social determinants of health.”

“Saúde é um direito humano, onde universal significa universal; em que todas as pessoas têm acesso e cobertura a serviços de saúde abrangentes e de qualidade, bem como intervenções para abordar os determinantes sociais da saúde. ”

“A declaração está totalmente alinhada com a chamada à ação no Pacto Regional da OPAS sobre Atenção Primária à Saúde em Saúde Universal”, disse Etienne. “Temos muito o que fazer e pouco tempo para fazê-lo. Mas deixamos aqui revigorados e prontos para avançar em uma ação concertada para tornar o Acesso Universal à Saúde e a Cobertura Universal de Saúde uma realidade até 2030 ”, acrescentou.

Em um evento paralelo à Reunião de Alto Nível sobre Cobertura Universal, organizada pela Parceria Universal de Cobertura em Saúde, Etienne reafirmou que “a saúde é um direito humano, onde universal significa universal; em que todas as pessoas têm acesso e cobertura a serviços de saúde abrangentes e de qualidade, bem como intervenções para abordar os determinantes sociais da saúde. ”

3651636507?profile=RESIZE_710x

“Para conseguir isso, é necessário um esforço conjunto para eliminar as barreiras de acesso: financeira, geográfica, social, cultural, institucional”, disse ela, destacando que a Região das Américas reduziu significativamente os gastos catastróficos em saúde entre 2010 e 2015, melhorando assim proteção financeira e redução de barreiras financeiras. "Este é um excelente progresso, mas ainda existem outras barreiras importantes a serem enfrentadas", disse ela.

Para alcançar a Saúde Universal até 2030, o Diretor da OPAS acredita ser necessário transformar os sistemas de saúde, firmemente baseados na atenção primária à saúde (APS) e com participação inclusiva. Ela também disse que "precisamos de sistemas de saúde com um primeiro nível de atendimento altamente resolutivo, incorporado em redes de serviços de saúde bem gerenciadas e abrangentes que atendam a todas as necessidades de saúde".

Etienne também pediu forte governança e administração para permitir que as autoridades liderem essa transformação, além de compromisso político para aumentar e melhorar o investimento em saúde. A Declaração exige um aumento de 1% no financiamento público até 2030, algo que, segundo o Diretor da OPAS, é positivo, mas pode não ser suficiente para muitos países.

“No nível regional, o financiamento da saúde aumentou 0,5% nos últimos quatro anos”, disse Etienne, acrescentando que “nas Américas, os países se comprometeram a obter investimentos públicos de pelo menos 6% do PIB e de pelo menos 30 % é investido no primeiro nível de atendimento. ”Até agora, quatro países da Região atingiram a meta de 6% e outros estão trabalhando nesse sentido.

3651638588?profile=RESIZE_710x

Etienne pediu que os países abordem as persistentes desigualdades na saúde, o envelhecimento da população, problemas emergentes como mudança climática, migração, sistemas de saúde segmentados e fragmentados e restrições fiscais, como financiamento insuficiente para os serviços públicos de saúde. "Se não enfrentarmos esses desafios, o sonho da saúde universal simplesmente não será possível", afirmou.

Saiba mais…

                   3636846968?profile=RESIZE_710x

 Campanha alerta sobre a importância de falar das doenças do coração

“Fale de Coração” tem o intuito de sensibilizar a população sobre as doenças

relacionadas ao coração que vitimam 17,3 milhões de pessoas ao redor do mundo

 Apoiamos a campanha do #GAC, que nasceu no #FórumDCNTs e, através de suas instituições membro, se mantém muito engajado e relevante.

          Em 29 de setembro foi o Dia Mundial do Coração. Para chamar a atenção da população brasileira para as doenças cardiovasculares, o Grupo de Advocacy em Cardiovascular, administrado pela Colabore com o Futuro, aproveitou a data para lançar a campanha “Fale de Coração”, com o objetivo de conscientizar as pessoas sobre a importância de hábitos saudáveis na prevenção dessas doenças.

3636851368?profile=RESIZE_710x

         A campanha visou gerar um grande movimento de pessoas nas redes sociais, postando depoimentos sobre suas experiências com as doenças cardiovasculares. “Também convidaremos celebridades e influenciadores para abraçar a campanha que é de grande importância para a sociedade. As doenças cardiovasculares são a principal causa de óbito no mundo. Cerca de 17,3 milhões de pessoas morrem por ano em virtude dos problemas relacionados ao coração. Só no Brasil, de acordo com último levantamento do Ministério da Saúde, há 302 mil óbitos. Por isso é de extrema importância conscientizarmos a população e enfatizarmos que há formas de tratamento e controle, por meio, principalmente, da correção de hábitos alimentares pouco saudáveis e de outros fatores de risco como tabagismo, obesidade, estresse, colesterol alto e sedentarismo”, destaca Carolina Cohen, cofundadora da Colabore com o Futuro.

         O trabalho de engajamento na campanha envolve a criação de uma página no Instagram especialmente para a causa (www.instagram.com/faledecoracao). “Dessa forma as pessoas poderão compartilhar seus vídeos e fotos na página @faledecoração, relatando suas histórias reais na luta contra as doenças cardiovasculares. Nesse sentido, a hashtag #D❤ foi criada para que o público possa usar nas mensagens, deixando-as registradas e visíveis para todos”, destaca Carolina.

O primeiro depoimento com vídeo será da idealizadora do conceito da campanha, Irene Knoth, e vai ao ar na página @faledecoração no próximo domingo (29), Dia Mundial do Coração.  Ela conta sobre a sua experiência, com o falecimento do pai por infarto. Em sua fala, Irene convida outras pessoas a também postarem suas histórias com a hashtag da campanha. “Com a ação, queremos, juntos, fazer com que o Dia Mundial do Coração seja sobre amor e não sobre saudade”, ressalta Irene.

 

Sobre o Grupo de Advocacy em Cardiovascular

O Grupo de Advocacy em Cardiovascular (GAC) foi fundado em 2017. Trata-se de um movimento inovador, administrado pela Colabore com o Futuro, e composto por quatro organizações de pacientes sem fins lucrativos, sérias e comprometidas. O grupo foi criado para atuar nas necessidades dos pacientes com doenças cardiovasculares não atendidos, lidando com desafios provocados por obstáculos para conseguir um diagnóstico preciso e precoce, bem como a dificuldade de acesso a exames e tratamentos. Também temos como missão diminuir a alta incidência e mortalidade por doenças cardiovasculares no Brasil.

Saiba mais…

Consulta pública sobre rotulagem de alimentos

Começou na segunda-feira (23/9) o prazo para o envio de comentários e sugestões às consultas públicas sobre rotulagem nutricional. Uma delas (CP 707) trata da proposta de Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) que contém uma série de novidades para ajudar os consumidores na hora da escolha de alimentos embalados. A outra (CP 708) traz o texto da Instrução Normativa (IN) com os requisitos técnicos para declaração da rotulagem nutricional nesses alimentos pelas indústrias.

Publicadas no Diário Oficial da União (D.O.U.) do dia 16/9, as consultas terão duração de 45 dias. Portanto, o prazo para o envio de contribuições vai até 6/11/2019.

3625550992?profile=RESIZE_710x

Objetivos

 

 Um dos principais objetivos da revisão das atuais normas brasileiras para rotulagem é facilitar a compreensão das informações nutricionais pelo consumidor. Para isso, faz parte da proposta deixar mais visíveis e legíveis os dados nutricionais nos rótulos, o que permitirá fazer comparações entre produtos e reduzir situações que geram engano. A ideia é, ainda, ampliar a abrangência de informações nutricionais e aprimorar a precisão dos valores declarados pela indústria.

 

Como participar?

 

 O primeiro passo é conhecer as propostas de RDC e de Instrução Normativa, que já estão disponíveis na área de consultas públicas do portal da Anvisa. Depois da leitura e avaliação do texto, sugestões poderão ser enviadas eletronicamente, por meio do preenchimento de formulários específicos.

As contribuições recebidas são consideradas públicas e estarão disponíveis a qualquer interessado, por meio de ferramentas contidas no menu “resultado” do formulário eletrônico, inclusive durante o processo de consulta. Ao término do preenchimento do formulário, será disponibilizado ao interessado o número de protocolo do registro de sua participação, sendo dispensado o envio postal ou protocolo presencial de documentos.

Aqueles que não têm acesso à internet também podem participar. Nesse caso, as sugestões e comentários podem ser enviados por escrito, para o seguinte endereço: Agência Nacional de Vigilância Sanitária/Gerência Geral de Alimentos – GGALI – SIA, Trecho 5, Área Especial 57, Brasília-DF, CEP 71.205-050.

Excepcionalmente, contribuições internacionais poderão ser encaminhadas em meio físico, para o mesmo endereço, mas direcionadas especificamente à Assessoria de Assuntos Internacionais (Ainte).

Após o término da CP, a Agência fará a análise das contribuições e poderá, se for o caso, promover debates com órgãos, entidades e aqueles que tenham manifestado interesse no assunto, com o objetivo de fornecer mais subsídios para discussões técnicas e a deliberação final da Diretoria Colegiada.

Ampla participação social

 

A Gerência Geral de Alimentos (GGALI) da Anvisa ressalta que a realização das consultas consiste em uma etapa importante para a participação social no processo regulatório de revisão das normas de rotulagem nutricional.

Ressalta também que vem cumprindo à risca o cronograma de atividades assumido com os atores envolvidos — órgãos de governo, associações e entidades do setor produtivo e da sociedade civil, além de representações dos profissionais de saúde, conselhos, universidades, laboratórios e de organismos internacionais.

Cabe destacar que o processo regulatório de rotulagem de alimentos é um dos mais amplos já realizados pela Agência. Entre as atividades já executadas estão reuniões, painel técnico, Análise de Impacto Regulatório (AIR), Tomada Pública de Subsídios (TPS) e Diálogos Setoriais sobre o tema. Confira aqui os mecanismos de participação em processos regulatórios.

Participe!

 

Para participar, conheça as propostas e acesse os formulários das consultas públicas. 

Fonte: Portal ANVISA

Saiba mais…

No dia 17 de setembro foi o Dia Mundial da Segurança do (Im)paciente e a Aliança Internacional das Organizações de (Im)pacientes lançou um pacote de materiais adaptáveis para que as pessoas possam se engajar e exigir a segurança e o engajamento/consulta da população atendida em unidades de saúde.

3606122850?profile=RESIZE_710xA segurança nos cuidados de saúde é uma preocupação global, devido ao aumento do número de pessoas que sofrem danos evitáveis ​​ou que correm o risco de sofrer lesões ao receber cuidados de saúde. O dano a usuario devido a eventos adversos é uma das principais causas de morte e incapacidade em todo o mundo. A cada ano, estima-se que 134 milhões de eventos adversos ocorram devido a cuidados inseguros em hospitais de países de baixa e média renda, contribuindo para 2,6 milhões de mortes, enquanto aproximadamente 1 em cada 10 pacientes é prejudicado ao receber atendimento hospitalar em países de alta renda.

O endosso do Dia Mundial da Segurança do Paciente na 72ª Assembléia Mundial da Saúde mostrou que, embora os sistemas de saúde e sua eficácia sejam diferentes de país para país, os problemas de segurança do usuário têm causas muito semelhantes, se não as mesmas, em todos os países. Isso significa que, se todas as regiões e países pretendem alcançar a UHC, a questão da segurança do paciente deve ser cuidadosamente considerada e priorizada.

Por meio dessa campanha global, mobilizaremos pessoas, profissionais de saúde, formuladores de políticas, acadêmicos, pesquisadores, redes profissionais e o setor de saúde para "Falar pela segurança do (im)paciente!".

A campanha convida todas as partes interessadas em saúde a colaborar com os governos para promover e apoiar iniciativas de segurança do paciente. Nosso objetivo é aumentar a conscientização entre os formuladores de políticas, líderes da área da saúde, profissionais da saúde e outras partes interessadas importantes sobre a necessidade de formular políticas, criar uma cultura de trabalho e prestar assistência onde a segurança dos pacientes é uma prioridade. A campanha também procura ajudar os usuários a estarem mais conscientes e envolvidos em seus próprios cuidados.

Um princípio fundamental da Declaração de Assistência Médica Centrada no Paciente da IAPO é que os usuários devem ter acesso a tratamentos seguros, de qualidade e adequados, conforme garantido por suas condições. Se o princípio da segurança da pessoa não for adequadamente garantido nas políticas e práticas de saúde, nenhum sistema de saúde poderá ser visto como verdadeiramente centrado na pessoa. Portanto, o Dia Mundial da Segurança do Paciente apresenta uma oportunidade para advogar cuidados de saúde mais seguros para todos, responsabilizando todas as partes interessadas pelos compromissos que assumiram em priorizar a segurança do paciente em todos os países.

Somente a colaboração de várias partes interessadas permitirá esboçar as etapas necessárias para lidar com a segurança do paciente para todos, pois é um problema que se estende por vários níveis. 

Para ler a matéria na íntegra, acesse.

Saiba mais…

Por Lucas Xavier 

A Reunião de Alto Nível (HLM) sobre Cobertura Universal da Saúde (UHC), acontecerá na sede das Nações Unidas em Nova York, no dia 23 de setembro de 2019. As instituições engajadas com saúde e DCNTs entendem este como um momento decisivo.

A Cobertura Universal da Saúde, ODS 3.8, por incluir estratégias de prevenção, atenção primária, acesso equitativo a medicamentos, financiamento e investimento sustentáveis com comunidades engajadas e capacitadas é vista como fundamental para se atingir o ODS 3.4, de redução em 1/3 das mortes precoces por DCNTs.

Pensando isso, muitos dos principais movimentos e instituições globais (mais de 130 até o momento, incluindo o FórumDCNTs) assinaram uma carta aberta,
que será entregue aos chefes de estado e ministros no dia 23/9, exigindo compromisso dos governos pela saúde e bem estar da população, incluindo medidas de prevenção e cuidados com as DCNTs em seus pacotes de Cobertura Universal da Saúde. 

Para assistir ao HLM, acesse: webtv.un.org.

Fontes: 

https://enoughncds.com/8wks-to-2019-w4a/ - 19/09/2019 

https://ncdalliance.org/resources/open-letter-to-governments-ahead-of-the-un-hlm-uhc - 19/09/2019

Saiba mais…

O #FórumDCNTs foi selecionado como destaque nos Abstracts para o Congresso da Federação Internacional de Diabetes (IDF). Os resultados e trabalho do Fórum estará no estandes de apresentação como "FórumDCNTs: uma abordagem intersetorial para lidar com o diabetes e outros desafios NCD no Brasil, alinhados com o #SDG 3.4 da ONU".

3551623892?profile=RESIZE_710x

Saiba mais…

3444490891?profile=RESIZE_710x

A LINKS anunciou nesta quinta-feira 22 de agosto que a assistência técnica de especialistas globais está disponível gratuitamente para programas que trabalham para melhorar a saúde cardiovascular através do gerenciamento de hipertensão, redução de sal e eliminação de gordura trans. É Encorajado que os membros do LINKS aproveitem esse recurso para abordar os desafios do programa e melhorar os resultados.

Programas cardiovasculares governamentais, não governamentais ou do setor privado em países de renda baixa e média são elegíveis.

Os programas devem estar relacionados a um ou mais dos seguintes procedimentos:

Os especialistas da LINKS têm uma vasta experiência na prestação de serviços, implementação de programas e sistemas de saúde. A assistência técnica pode ser fornecida em vários tópicos, incluindo, mas não limitado a, treinamento, vigilância e avaliação, ciência de laboratório, desenvolvimento de políticas, engajamento de partes interessadas, comunicações e implementação de programas. Os especialistas podem fornecer essa assistência pessoalmente ou virtualmente.

As solicitações de assistência técnica podem ser feitas a qualquer momento através do portal de membros do LINKS.

Saiba mais…

A abertura do escritório da Vital Strategies na capital paulista reforça o compromisso de longo prazo da organização com o Brasil, além de seguir diretriz institucional  da  entidade que se tornam cada vez mais globais, e, ao mesmo tempo, mais próximos da realidade e dos parceiros dos países onde atuam.

3426655673?profile=RESIZE_710x
Políticas públicas baseadas em evidências e recomendadas pela OMS (Organização Mundial de Saúde), como a taxação e a restrição do marketing e da venda de alimentos não saudáveis, além de uma rotulagem de alerta clara; o aumento nos preços de cigarros e a proibição de cigarros com sabores; a redução da velocidade, o reforço nas fiscalizações e campanhas de mídia de massa, além de intervenções urbanas que tornem as cidades mais seguras e agradáveis para pedestres, ciclistas e que priorizem modos coletivos de transporte são algumas das medidas comprovadamente eficazes para nos ajudar a reverter esse cenário. No entanto, os desafios não são poucos e, como comentado na quinta-feira pelas nossas debatedoras, a Diretora Executiva da ACT, Paula Johns, e a nossa COO, Tamar Renaud, enfrentamos a resistência de diversas indústrias  cujos interesses acabam por prevalecer sobre o interesse público e interferem na formulação de políticas eficazes.

Saiba mais…

À medida que nos aproximamos da Segunda Semana Global de Ação sobre Doenças Não Transmissíveis (DCNTs), de 2 a 8 de setembro de 2019, a NCD Alliance nos convida a começar a compartilhar os planos para a semana através do site enoughncds.com.

A Semana para Ação sobre as DCNTs aproveitará os pontos fortes da comunidade de DCNTs e o momento para a Reunião de Alto Nível das Nações Unidas (HLM) na UHC em 23 de setembro. Estamos unificando o movimento das DCNTs e além do nosso direito à saúde para dizer: "BASTA. Garantia de Vida Saudável para Todos: Doenças Crônicas Não Transmissíveis e Cobertura Universal de Saúde." 

Alguns recursos no enoughNCDs.com para promover o movimento das DCNT:

Com base no sucesso da Semana de Ação Global sobre as DCNTs do ano passado, realizada antes do 3º HLM sobre DCNTs, todos, em todos os lugares, são incentivados a participar do movimento global. Envolva-se na campanha para mudar as marchas de compromissos políticos para ações significativas que melhorem a saúde de todas as pessoas.

Com a cobertura universal de saúde da agenda global de saúde e desenvolvimento em 2019, enfatizaremos a importância da integração de DCNTs para fornecer a UHC por meio de prevenção, atenção primária, acesso equitativo a medicamentos, financiamento e investimento sustentáveis ​​e comunidades engajadas e capacitadas. A Semana para Ação sobre DCNTs pode demonstrar sucessos e exigir mais ações sobre medidas de prevenção e controle de DCNTs.

3397320877?profile=RESIZE_710x

Todos podem participar, incluindo pessoas vivendo com, em risco e afetadas por DCNTs, defensores da sociedade civil, jovens, presidentes, primeiros-ministros, chefes de Estado, ministros e formuladores de políticas, economistas, acadêmicos, especialistas, defensores e setor.

A flexibilidade permite que as atividades sejam adaptadas ao seu contexto, recursos, capacidades, prioridades e objetivos. A NCD Alliance compartilhará dicas e modelos de recursos nas próximas semana.

Mais de 80 países foram representados em atividades online e offline da Semana para Ação em DCNTs em 2018, atingindo milhões de pessoas. Em 2019, a NCD Alliance espera ver ainda mais vozes, eventos, atividades e notícias para agitar e inspirar ações que proporcionem uma vida saudável para todos.

Para começar:

Confira as Prioridades de Defesa de 2019 voltadas para o HLM na UHC

• Seja inspirado, mas não limitado por 2018. Atividades de campanha

• Adicione seus planos e novidades à Semana para Ação Mapa do Impacto

• Siga @ncdalliance no twitter, facebook e instagram para atualizações

Fonte
Saiba mais…

A Presidente da Assembléia Geral da ONU, Sra. María Fernanda Espinosa, convoca a Reunião de Alto Nível sobre Cobertura Universal de Saúde, na sede das Nações Unidas em Nova York, no dia 23 de setembro de 2019. Um dia antes do início da 74ª Sessão de Debate Geral da Assembléia.

3361803185?profile=RESIZE_710x

A participação neste evento é limitada. Entidades credenciadas podem enviar um representante para participar da Reunião de Alto Nível. Para se inscrever na Reunião de Alto Nível, o representante individual de cada entidade credenciada deve criar uma conta no Indico, ativar a conta e registrar-se para este evento. O prazo máximo de registro do participantes é até 9 de agosto de 2019. Informações sobre o programa preliminar do evento e outras informações adicionais serão publicadas no site da Assembleia Geral da ONU.

Registre-se aqui

3362200157?profile=RESIZE_710x

Saiba mais…

3348047918?profile=RESIZE_710x

 

O déficit de recursos humanos qualificados em uma ampla gama de áreas biomédicas e não biomédicas está piorando. Isso é particularmente agudo em países de baixa e média renda. Para enfrentar este desafio, o Consortium of Universities for Global Health (CUGH)criou esta plataforma de capacitação online. Ajudará instituições em países de baixa renda a se conectarem com instrutores e os produtos educacionais de que precisam.

O site tem duas partes:

A primeira permite que as instituições da LIC listem suas necessidades específicas de treinamento;

A segunda, é um portal para as instituições listarem os treinadores que têm interesse em fornecer treinamento.

Conheça a plataforma acessando aqui.

Se você tiver alguma dúvida ou precisar de informações adicionais, envie um e-mail para: info@cugh.org

3348036447?profile=RESIZE_710x

Saiba mais…

Diabetes é Prioridade, segundo Ministro da Saúde

Ministro Mandetta admite que Diabetes é Prioridade em Reunião com ADJ Diabetes Brasil

Por Mark Barone

No dia 16 de julho, o presidente da ADJ, Gilberto Casanova, a vice-presidente, Andrea Daidone, e o diretor, Dr. Mark Barone, estiverem em Brasília para audiência com o Ministro da Saúde, Dr. Luiz Henrique Mandetta, em conjunto com a deputada Carmen Zanotto e a presidente da SBD, Dr. Hermelinda Pedrosa. Em linhas gerais objetivo da reunião foi de propor melhorias e atualizações no acesso ao tratamento do diabetes no SUS.

3322499998?profile=RESIZE_710x

Já no início da reunião o Ministro admitiu que diabetes é prioridade em sua gestão, por estar muito preocupado com as condições de acompanhamento das pessoas com diabetes no Brasil e a alta prevalência, custos e mortalidade por diabetes, mesmo entre as doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs) mais prevalentes. Planeja, para mudar esse cenário, fazer alterações no financiamento da atenção primária, focando em indicadores de resultados (valor da hemoglobina glicada, casos de retinopatia, nefropatia, entre outras complicações), para auditar os meios. Mencionou ainda a necessidade de se mapear onde estão as pessoas com diabetes no país e a capacitação dos agentes comunitários de saúde para que possam atuar de forma mais resolutiva no acompanhamento de pessoas com DCNTs.

3322500711?profile=RESIZE_710x

Foto SBD

Outros aspectos prioritários mencionados pela ministro foram a adequação das farmácias como check-points para acompanhamento do controle de diabetes e outras DCNTs; programa nacional de exercícios físico, para que o Brasil saia do record como país mais sedentário; e melhoria da alimentação nas escolas, a fim de prevenir obesidade e outras DCNTs e fatores de risco desde a infância.

O Ministro se mostrou muito interessado em contar com a extensa experiência da ADJ e a da SBD como parceiras para a implementação das prioridades, com destaque aos programas de alimentação saudável nas escolas e exercícios físicos. Já solicitou agendamento de reunião da Secretaria da Atenção Básica com a ADJ, para desenvolvimento do plano de educação em diabetes e outras DCNTs para agentes comunitários de saúde e outros profissionais da atenção básica. O Ministro demonstrou interesse, ainda, nas solicitações de ambas as entidades e contribuições, especialmente da SBD, para revisão da RENAME.

A ADJ Diabetes Brasil aproveitou a ocasião para convidar o Ministro para participar do 5º Encontro do Fórum Intersetorial para Combate às DCNTs no Brasil, em outubro de 2019, e, ao saber do engajamento e ótimos resultados das parcerias entre as mais de 50 principais de instituições públicas, privadas e ONGs nessa iniciativa, o ministro pré-confirmou sua participação.    

Artigo cedido pela ADJ Diabetes Brasil.

Saiba mais…

3281608296?profile=RESIZE_710x

Tema do ano 2019, a Cobertura Universal da Saúde (UHC, ODS 3.8), primordial para que a redução em 1/3 das mortes precoces por DCNTs (ODS 3.4) seja possível e sustentável, não será alcançada em 2030, segundo o Banco Mundial.

Relatório apresentado às vésperas da reunião do G20 destaca a necessidade de novos caminhos para a colaboração internacional (ODS 17) para apoiar os esforços de financiamento da UHC em duas áreas principais: pesquisa e desenvolvimento de financiamento da saúde; e um aumento “considerável” e uma mudança estratégica na assistência ao desenvolvimento para a saúde no fortalecimento da liderança em financiamento da saúde, governança e capacidade organizacional, melhor uso e mobilização de recursos internos e aumento da segurança sanitária global.

Atualmente, pessoas nos países em desenvolvimento gastam meio trilhão de dólares anualmente (mais de US$ 80 por pessoa) para acessar os serviços de saúde, com essas despesas afetando mais os pobres. A publicação informou a primeira sessão conjunta dos Ministros das Finanças e da Saúde do G20, organizada pelo Japão como Presidente do G20, em 28 de junho de 2019, em Osaka.

O financiamento da cobertura universal da saúde (UHC) nos países em desenvolvimento foi destacado como uma prioridade para a presidência do G20 no Japão, e foi discutido também pelos Ministros das Finanças do G20 durante sua reunião em Fukuoka, Japão, de 8 a 9 de junho de 2019. Os ministros das finanças destacaram que a mudança para a cobertura universal de saúde contribui para o desenvolvimento do capital humano, crescimento e desenvolvimento sustentável e inclusivo e prevenção, detecção e resposta a emergências de saúde, como pandemias e resistência antimicrobiana. Reconheceram que uma abordagem multissetorial, em particular a colaboração entre autoridades financeiras e de saúde, com a contribuição apropriada do setor privado e das ONGs é crucial para o fortalecimento do financiamento da saúde, com base no trabalho de organizações internacionais.

Leia mais aqui.

Saiba mais…
 

Novo estudo mostra que três intervenções escalonáveis ​​podem salvar milhões de vidas globalmente

(Nova York, EUA) - Um novo estudo na revista Circulation informa que quase 100 milhões de vidas poderiam ser salvas aumentando o número de pessoas ao redor do mundo tratadas para pressão alta, reduzindo a ingestão de sal e eliminando a gordura trans dos alimentos globais. Os autores usaram os números globais atuais sobre pressão arterial, consumo de sal e consumo de gordura trans para estimar o impacto que as intervenções baseadas em evidências teriam sobre as taxas futuras de mortalidade. Eles descobriram que aumentar o tratamento global para pressão alta em 70% poderia atrasar 39,4 milhões de mortes, que atingir uma redução de 30% na ingestão de sódio poderia atrasar mais 40 milhões de mortes, e que a eliminação da gordura trans poderia atrasar 14,8 milhões de mortesTotal de quase 100 milhões de vidas em 25 anos.

Resolve to Save Lives, uma iniciativa da Vital Strategies, saúda essas descobertas, que demonstram o potencial de salvar vidas com a prevenção de doenças cardiovasculares (DCV) em escala global. As descobertas destacam a necessidade de compromissos renovados e aumentados para melhorar o tratamento da hipertensão arterial, reduzir a ingestão de sal e eliminar as gorduras trans nos governos, sistemas de saúde e defensores. As três intervenções viáveis ​​e com boa relação custo-benefício são necessárias para alcançar o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 3.4, que visa reduzir o risco de morte prematura por doenças não transmissíveis em um terço até 2030.

"Melhorar a pressão arterial, reduzir o sal e eliminar a gordura trans tem um tremendo potencial para melhorar a saúde cardiovascular globalmente", disse o Dr. Tom Frieden, Presidente e CEO da Resolve to Save Lives. “Mas todo o potencial dessas intervenções para salvar vidas só pode ser alcançado com o aumento dos esforços nacionais e internacionais. A pesquisa publicada na Circulation mostra que esta é uma oportunidade de saúde pública que não podemos deixar na mesa. Há milhões de vidas em risco e temos soluções comprovadas ”.

Resolve to Save Lives visa trabalhar com parceiros para salvar 100 milhões de vidas ao:

  • Ajudar os países de renda baixa e média a melhorar o tratamento da hipertensão através da implementação de programas comprovadamente eficazes e que possam ser ampliados em grandes populações.
  • Políticas de apoio para eliminar a gordura trans artificial
  • Apoiar os esforços para reduzir o consumo global de sal em 30%

As doenças não transmissíveis (DCNT), incluindo as doenças cardiovasculares, reivindicam 38 milhões de vidas por ano e são a principal causa global de morte. 40% das pessoas que morrem de DCNTs têm menos de 70 anos e 80% dessas mortes prematuras por DCNTs ocorrem em países de baixa e média renda (países de baixa e média renda).

Apesar do fardo substancial e crescente das doenças cardíacas nos países de baixa e média renda, apenas 1% ou menos de todo o financiamento global da saúde é investido atualmente na prevenção de DCNTs.


Link do estudo

https://www.vitalstrategies.org/how-to-save-100-million-lives-through-improved-heart-health/

Saiba mais…

A AVC Brasil, participante do #FórumDCNTs tem disponível na plataforma IOS e Sistema Android o Aplicativo AVC Brasil. O aplicativo gratuito com proposta de mostrar informações e tópicos relevantes sobre o Acidente Vascular Cerebral (AVC) e informar geograficamente os hospitais especializados para o atendimento da doença de acordo com o local onde o usuário acessa o app.

3281757082?profile=RESIZE_710xE uma das funções mais legais é a possibilidade de chamar o serviço de emergência, contato pessoal do usuário ou hospital de contato, apenas com 3 toques no celular, bastando para isso cadastrar o número de seu familiar numa emergência, e do hospital onde quer chamar nestas situações. O aplicativo agrega informações como sinais de alerta, testes e dicas para diminuir o risco do problema no futuro.

Saiba Mais!

Saiba mais…

Por Lucas Xavier

Durante a Assembleia Geral da OMS o #FórumDCNTs teve diversas interações com instituições internacionais engajadas no combate às DCNTs. Lucas Xavier representou o Fórum em reunião com representantes da OMS e em outra com a diretora de Global Health da Medtronic Foundation, Jessica Daly, e foi panelista em evento satélite promovido pela World Heart Federation (WHA) e pela International Diabetes Federation (IDF).

Da reunião com a OMS participaram o Dr. Guy Fones, assessor do Global Coordination Mechanism for Non-Communicable Diseases da OMS, e  o Sr. Daniel Mic, Global Coordination Mechanism Secretariat. Ambos se mostraram muito surpresos com o modelo único do #FórumDCNTs que permite o encontro, diálogo e parceria entre os diferentes setores para enfrentar de forma eficaz, ampla e sustentável os desafios para combate às DCNTs. Demonstraram muita curiosidade pelos detalhes da iniciativa, desde sua inspiração e criação até o momento em que se encontra e perspectivas futuras. Durante os intensos 45 minutos de reunião, a relevância do FórumDCNTs ficou clara e Dr. Fone e Sr. Mic ofereceram o apoio da OMS de diversas formas. Entre elas, destacam-se a amplificação da divulgação dos eventos e resultados do #FórumDCNTs nas mídias da OMS, e o engajamento da PAHO às atividades do Fórum.Em breve mais notícias sobre a aproximação com essas instituições.

 O evento satélite à 72ª Assembleia Mundial da Saúde (WHA), em Genebra “Joining forces to fight CVD in people living with diabetes: pathways to solutions”, contou com Lucas Xavier como panelista. Entre os principais temas debatidos estiveram:  tributação de alimentos industrializados, conhecimentos sobre a interações entre as #DCNTs e possíveis soluções para melhorar a preparação de profissionais da saúde para a educação em diabetes.

 

Saiba mais…